Site logo

A Historiografia de Miraflores (3)

A historiografia de Miraflores é uma historia ainda com imenso por contar, tenho na minha posse cartas militares de 1800 que têm já registo de varias habitações na área, e uma localidade o Bairro da Formiga (que será também alvo de um artigo brevemente), alem do referido bairro a zona do Gato preto (Alto de Algés) também já existia na altura como podem ver em varias habitações que ainda rodeiam o campo da U. D. R. ALGÉS.

Elaboramos o esqueleto do que virá a ser a historiografia da nossa localidade, quero aproveitar para solicitar a todos os leitores a vossa colaboração na correcção de factos que estejam menos correctos e o vosso contributo para o enriquecimento do texto com novos factos, esta aqui em causa a historia recente da nossa localidade e se nada for feito muito do passado irá desaparecer sem deixar rasto.

O projecto inicia-se em 1965, sendo coordenado pelo Engº Eurico Ferreira Gonçalves com a responsabilidade das diferentes especialidades assim distribuídas:

Arquitectura: Prof. Arqtº Carlos Antero Ferreira
Urbanização: Arqtº António Sérgio
Arquitectura paisagística: Arqtº Gonçalo Ribeiro Teles
Decoração: Arqtº Pimentel Lobo
Engenharia Civil: Engº José Augusto Fernandes
Engenharia de instalações: Eng. Camacho Simões

Os trabalhos de urbanização já em curso no ano de 1965 , foram confiados á firma Alves Ribeiro, Lda.

A área total do vale de Algés onde a urbanização foi construída é de 475.000m2 e previa-se a edificação de 850.000m2 para albergar 4.500 famílias das classes mais evoluídas , com um prazo previsto de duração da construção do empreendimento de 8 anos.

Miraflores, realizaria na frase de Eça de Queiroz, o sonho de uma quinta com porta para o Chiado.

(Publicado originalmente em 3 de Março de 2011).

Gostou deste artigo? Partilhe-o nas suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Website | + posts

A História, o Património e as tradições da UF de Algés e o restante Concelho de Oeiras abordando também temas da actualidade.

"Devo confessar que o meu espírito se compraz doidamente na evocação do passado do qual tenho saudades cada vez maiores"