A Historiografia de Miraflores (4)

A construção da localidade iniciou-se em 1969. Na altura não havia nenhuma quinta Miraflores, mas sim um conjunto de pequenas quintas e algumas áreas de residência das pessoas que laboravam nas referidas quintas, essas localidades vêm referidas em cartas Militares pelo menos desde 1800 e ainda restam duas, a quinta da Formiga junto á entrada da CRIL para Miraflores e um ultimo reduto entre o campo do UDRA e a Av. dos Bombeiros Voluntários, zona mais conhecida pelo Gato Preto.

Miraflores começou por ser uma urbanização desenvolvida por Juan Mechó (um espanhol radicado em Portugal) no principio dos anos 60(??) Actualmente faz parte da Freguesia de Algés.

O conceito da urbanização, baseado nos já então realizados em Espanha, nomeadamente nos bairros de Madrid, em que a urbanização era fechada sobre si, e tinha as suas infra-estruturas desportivas (no caso de Miraflores courts de ténis e piscina), bem como a novidade para a época de cada prédio ter garagem subterrânea. Os primeiros prédios ficaram prontos (o edifício Compave hoje os nºs 37 ao 43 da Av. das Tulipas os Edifícios Orquidias os três prédios junto á esquadra da PSP e o edifício da frente das Tulipas) e muitos apartamentos foram vendidos antes do 25 de Abril.

No período conturbado que se seguiu, Miraflores foi considerado (no jargão da época) uma urbanização fascista, elitista, e outros termos afins. Juan Mechó chegou a ser detido no período do PREC, vários habitantes da localidade foram detidos pelo COPCON e foram levantados vários entraves ao licenciamento das obras, entre elas a não autorização da construção da garagem subterrânea no bloco de prédios da Rua Brito Pais. Durante o período do PREC, a Habitat, é intervencionada e como consequência as obras param. O Miraflores Club, torna-se refeitório dos trabalhadores das obras, e a empresa afunda-se irreversivelmente.

Estes acontecimentos levaram à paragem da construção dos restantes prédios, bem como à paragem dos trabalhos em outros, como foi o caso do edifico onde hoje está instalado o centro comercial Dolce Vita, que só foi terminado no final dos anos 90.

(Publicado originalmente em 3 de Março de 2011).

Gostou deste artigo? Partilhe-o nas suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Website | + posts

A História, o Património e as tradições da UF de Algés e o restante Concelho de Oeiras abordando também temas da actualidade.

"Devo confessar que o meu espírito se compraz doidamente na evocação do passado do qual tenho saudades cada vez maiores"