A Historiografia de Miraflores (5)

Paralelamente, nos anos seguintes devido á descolonização selvagem varias partes da localidade foram ocupadas por emigrantes, sobretudo das ex-colónias, surgindo assim vários bairros da lata, o mais conhecido era chamado Pedreira dos Húngaros. A Pedreira dos Húngaros já existia antes da revolução era então ocupado por comunidades Ciganas aparentemente oriundas da Hungria, dai o nome do bairro, com a chegada dos emigrantes africanos em grande numero e depois de uma autentica mini guerra racial as comunidades ciganas mudaram se para a zona da Buraca deixando assim o bairro entregue aos emigrantes africanos.

O senhor Joaquin Peña Mechó havia, antes da revolução, comprado terrenos noutras zonas do concelho de Oeiras e inclusive contribuindo financeiramente para que a Câmara Municipal se encarregasse da construção de bairros destinados ás famílias carenciadas, com o intuito de libertar os terrenos que lhe pertenciam, da construção clandestina.

As áreas ocupadas pelos emigrantes foram a Pedreira dos Húngaros que ocupava a área acima da Quinta de Santo António (hoje em dia um parque urbano) até ao liceu de Linda a Velha, o bairro de Holywood que ocupava a área desde o actual quartel dos Bombeiros Voluntários de Algés até á área da actual rotunda do Mercado Municipal de Algés acompanhando a antiga estrada de circunvalação e o bairro (??) que ocupava a área junto ao campo de futebol da UDRA, na altura a Junta de Freguesia era a Freguesia com mais emigrantes africanos na Europa.

Com a morte de Juan Mechó na segunda metade dos anos 80, a mulher (Mercedes) e a filha assumem a liderança do projecto, numa época em que a economia portuguesa entrou numa fase de crescimento, e novos investidores apostaram em finalizar a urbanização. Assim, desde os anos 90 até à data tem-se assistido a um renascimento e a um crescimento muitas vezes desmesurado e selvagem, ao que não é alheio o realojamento da população, e o consequente fim, da Pedreira dos Húngaros pela Câmara Municipal de Oeiras, libertando assim o terreno para a construção de mais fogos de habitação. Nesta altura os terrenos do antigo bairro Pedreira dos Húngaros a quinta de Santo António eram pertença do empresário Sousa Sintra.

Dada a qualidade das construções iniciais, e o facto de ser um bairro de população da média-alta classe média, muitas construções posteriores, se bem que não fazendo parte do projecto inicial, “colaram-se” ao nome Miraflores, alargando a área abrangida actualmente maior que a prevista e para além dos limites do Parque Residencial de Miraflores original.

Após a morte de Peña Mechó, a sua mulher Pilar, em conjunto com todos os filhos Francisco, Joaquim (apenas filho de Peña Mechó) , Paloma, Mercedes, Mari, tomou conta dos destinos da Habitat, que se limitou nos anos seguintes a vender os terrenos ainda existentes de acordo com um novo plano traçado pela Câmara de Oeiras que veio alterar grandemente o projecto inicial, aumentando em muito a área residencial e Empresarial muitas vezes de forma exagerada.

(Publicado originalmente em 3 de Março de 2011).

Gostou deste artigo? Partilhe-o nas suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Website | + posts

A História, o Património e as tradições da UF de Algés e o restante Concelho de Oeiras abordando também temas da actualidade.

"Devo confessar que o meu espírito se compraz doidamente na evocação do passado do qual tenho saudades cada vez maiores"